MARIA ELVIRA MEIRELES CORREIA DIAS – Biografia

MARIA ELVIRA MEIRELES CORREIA DIAS – Cecilia Meireles (Biografia)

Nome artistico: Cecilia Meireles
Nome Completo: Maria Elvira Meireles Correia Dias
Cecilia Meireles foi uma escritora, poetisa e jornalista brasileira. Parte de sua obra poética se enquadra na vanguarda do modernismo brasileiro.

Cecilia Meireles
Cecilia Meireles

Sumário
1 síntese biográfica
1.1 Juventude e infância
1.1.1 casamento
1.2 Trajetória literária
1.3 morte
2 principais obras
3 fontes

Nome: completo Cecilia Benavides de Carvalho Meireles
Nascimento: 7 de de 1901
Natural: Rio de Janeiro, Brasil
Morte: 9 de novembro de 1963 no Rio de Janeiro
Ocupação: Escritora
Nacionalidade: Brasileira
Gênero: Poesia, romance
Cônjuge: Fernando Correia Dias, 1922 até 1935 e Heitor da Silveira Vinicius Cricket, 1940 até 1964.
Descendência> Maria Fernanda, Maria Matilde, Maria Elvira Meireles Correia Dias

Síntese biográfica
Nasceu no Rio de Janeiro (Brasil) em 7 de novembro de 1901. Filha de Carlos Alberto De Carvalho Meireles, e Matilde Benavides Meireles, seu pai morre três meses depois de ter nascido Cecilia e três anos depois morre sua mãe.

Juventude e infância
Cecilia Meireles é criada por sua avó materna Jacinta García Benavides teve uma infância entre o silêncio e a solidão, que a carcterizou em sua infância.

Frequentou a Escola Normal, no Rio de Janeiro, entre os anos 1913 e 1916. Aos nove anos, ele começou a escrever poesia.

Após a conclusão de seus estudos, ela trabalha como professora, ao mesmo tempo, estudou línguas, literatura, música, folclore e teoria educacional.

Aos dezoito anos no ano 1919 publicou seu primeiro livro de poesia Spectrum, uma coleção de sonetos simbolistas.

Ele viveu sob a influência do modernismo, e é retratado em seus livros, Simbolismo e legados técnicos do Classicismo, Romantismo gongorismo parnasianismo, realismo e surrealismo, de modo que sua poesia é considerada atemporal.

Casamento
Em 1922 casou-se com o pintor português Fernando Correia Dias,teve três filhas, Fernando ilustrou alguns de seus livros com notas místicas, e morre em 1935. Em 1940 junta-se ao professor e engenheiro agrícola, Heitor da Silveira Vinicius Cricket.

Trajetória literária
Em 1927 publicou o livro de prosa poética Educação, meu Amor ao mesmo tempo que escrevia na página de Educação do Jornal de notícias do Rio de Janeiro, onde redigiu artigos de notória ressonância sobre educação e política.

Posteriormente colaborou com A Nação, O correio Paulista, e dirigiu Travel.

No ano de 1934 Ceculia fundou o que seria primeira biblioteca infantil do país.

Em 1939 Cecilia alcançou o reconhecimento crítico e popular como poeta, com seu trabalho mais importante jornada.

Nos anos 40 ministrou aulas de literatura e cultura brasileira na Universidade do Texas.

Ele escreveu as seguintes obras poéticas que transcenderam em seu tempo. Em 1942 Música Vaga. Em 1944 Mar Absoluta. Em 1949 Retrato Natural. Em 1953 Romancero da Desconfiada. Em 1961 Poemas Escritos na Índia.

Morte
Ele morre em 9 de novembro de 1963 em sua cidade natal, Rio de Janeiro.

Principais obras

  • Criança, Meu Amor. (1923)
  • Nunca mais. (1924)
  • Poema de poemas. (1923)
  • Balada do Rei. (1925)
  • Drumming, samba e Macumba. (1933)
  • O Espírito Vitorioso. (1935)
  • Novos Poetas de Portugal. (1944)
  • Ruth e Albert. (1945)
  • Rui-Breve história de uma grande Vida. (1948)
  • Problemas da Literatura Infantil e Juvenil. (1950)
  • O amor em Leonoreta. (1952)
  • Pequeno Oratório de Santa Clara. (1955)
  • Panorama Folk Açores. (1955)
  • Músicas. (1956)
  • Girofle, Giroflá. (1956)
  • Romance de Santa Cecilia. (1957)
  • A Bíblia na Literatura brasileira. (1957)
  • Obras poéticas.(1958)
  • Metal Rosicler. (1960)
  • Antologia Poética. (1963)
  • Solombra. (1963)
  • Isto ou aquilo. (1964)
  • Escolha o seu Sonho. (1964)
  • Apenas uma rosa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *