Manuel Botelho de Oliveira

Manuel Botelho de Oliveira foi um poeta brasileiro, nascido em 27 de dezembro de 1837, em São Luís do Maranhão, e falecido em 1º de julho de 1871, em São Paulo. Ele foi um dos mais importantes escritores da geração romântica brasileira.

Durante sua vida, Manuel Botelho de Oliveira publicou vários poemas, além de prosa e ensaios. Ele foi um membro fundador da Academia Brasileira de Letras, e foi um dos pioneiros do movimento literário romântico no Brasil, com obras como “Os Mártires”, “O Poeta e a Musa” e “A Vida e a Morte de Gonzaga de Sá”. Suas obras têm sido traduzidas e publicadas em diversos idiomas.

Manuel Botelho de Oliveira nasceu em São Luís do Maranhão, e aos 15 anos foi para São Paulo, onde se formou em Direito na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Depois de se formar, ele se mudou para o Rio de Janeiro, onde fundou a revista literária “O Poeta”, a qual publicou seus primeiros poemas.

Em 1864, Manuel Botelho de Oliveira publicou seu primeiro livro de poesia, intitulado “Os Mártires”. Nessa obra, o poeta abordou temas relacionados a liberdade, como a abolição da escravatura e a luta pela independência do Brasil. O livro foi bem recebido pela crítica, e tornou-se um dos principais marcos da literatura romântica brasileira.

Em 1866, Manuel Botelho de Oliveira publicou seu segundo livro de poesia, intitulado “O Poeta e a Musa”. Essa obra destacou o amor entre o homem e a mulher, e abordou temas como a arte, a beleza da natureza e o amor incondicional. O livro foi bem recebido pela crítica, e tornou-se um marco importante na literatura do Romantismo brasileiro.

Em 1868, Manuel Botelho de Oliveira publicou seu terceiro livro de poesia, intitulado “A Vida e a Morte de Gonzaga de Sá”. Essa obra retratou a história de um poeta brasileiro, que viveu no século XVIII. O livro foi muito bem recebido pela crítica, e tornou-se um marco importante na literatura romântica brasileira.

Em 1870, Manuel Botelho de Oliveira foi eleito membro da Academia Brasileira de Letras, tornando-se o primeiro poeta a ocupar essa posição. Nesse mesmo ano, ele também foi indicado para o Prêmio Machado de Assis, um dos mais importantes prêmios literários do Brasil.

Infelizmente, a saúde de Manuel Botelho de Oliveira começou a se deteriorar rapidamente. Ele faleceu em 1º de julho de 1871, aos 33 anos de idade. Seu legado, entretanto, continua vivo até hoje, com obras como “Os Mártires”, “O Poeta e a Musa” e “A Vida e a Morte de Gonzaga de Sá” sendo importantes referências da literatura romântica brasileira.

Principais poemas de Manuel Botelho de Oliveira

1. Os Mártires
2. O Poeta e a Musa
3. A Vida e a Morte de Gonzaga de Sá
4. O Canto do Cisne
5. O Amor e a Morte
6. A Luta
7. O Poema do Desterro
8. O Poema do Vento
9. O Olhar do Poeta
10. O Beijo do Amor